Contate-nos: contato@escoca.com.br ou (19) 3873-2108

Fazenda sofre pressão para corrigir tabela do Imposto de Renda

O Ministério da Fazenda já sofre pressão para fazer um novo reajuste na tabela do Imposto de Renda da pessoas físicas. Segundo interlocutores da pasta, a intenção do ministro Nelson Barbosa é não adotar a medida, que tem custos para os cofres públicos e ainda contribui para a indexação da economia. No entanto, os técnicos admitem que o assunto é sensível politicamente e que algum ajuste na tabela pode acabar sendo feito em 2016.

Eles lembram que o PT é um dos defensores da correção, que ajudaria a minimizar os efeitos da inflação sobre a renda dos brasileiros. Cálculos do Sindicato Nacional dos Auditores da Receita Federal (Sindifisco Nacional) apontam que defasagem da tabela chega a 72,2% considerando o período acumulado entre 1996 e 2015. Somente no ano passado, por exemplo, o IPCA atingiu 10,67%, enquanto a correção média nas faixas de renda dos contribuintes foi de apenas 5,6%.

DEFASAGEM

Estudo do Sindifisco Nacional defende que os contribuintes estão pagando mais Imposto de Renda do que deveriam. Segundo o órgão, a defasagem na tabela do IR chegou a 72,2% em 2015. Uma pessoa com renda mensal de R$ 4 mil, por exemplo, paga atualmente R$ 263,87 de IR. Caso a defasagem na tabela fosse solucionada, o mesmo contribuinte pagaria R$ 57,15.

“A intenção (da Fazenda) é não corrigir. Mas isso não é algo definitivo. O tema é sensível e certamente há pressão para que alguma correção ocorra”, afirmou um interlocutor da equipe econômica.

Em 2015, o então ministro da Fazenda, Joaquim Levy, também resistiu em corrigir a tabela. Embora a pressão tenha começado a acontecer logo em janeiro do ano passado, a medida só entrou em vigor em abril. Isso reduziu seu custo de R$ 6,5 bilhões para R$ 3,9 bilhões. Além disso, diferentemente de anos anteriores, ela só valeu para 2015 e foi feita de forma escalonada. Os porcentuais de correção variaram de 4,5% a 6,5% dependendo da faixa da renda dos contribuintes. Quanto maior o rendimento, menor foi a correção.

Ao longo do governo Dilma Rousseff, a tabela foi corrigida todos os anos em, pelo menos, 4,5%. O porcentual é exatamente o centro da meta de inflação. O problema é que os índices de preços têm ficado acima desse porcentual, o que acaba resultando numa perda de renda para a população.

Pelas contas do Sindifisco Nacional, a disparidade entre a correção da tabela e a inflação se acumula desde 1996: enquanto o IPCA subiu 260,9% entre 1996 e 2015, a correção do IR foi de 109,6% no mesmo período

Artigos Similares

Há necessidade do empreg... A Circular nº 547/2001 da Caixa Econômica Federal instituiu a certificação digital emitida no modelo ICP-Brasil, por qualquer das Autoridades Certificadoras e suas respectivas Autoridades de Registro,
Horário de verão chega ... O horário de verão 2011/12 que começou dia 16 de outubro de 2011 chega ao fim na passagem do dia 25 para o dia 26 de fevereiro
ESCOCA – Participa ... O Escoca participou de uma parceria estabelecida entre empresas de Sumaré e a Polícia Militar, para a disponibilização de lixeiras na unidade do batalhão. Parabéns a todas
SPED – PIS/COFINS ... ALTERAÇÕES: A nova IN RFB n° 1.218 de novembro de 2011 definiu um novo período de abrangência e nova data limite para a entrega do SPED pis/cofins,
Sistema da nota fiscal El... Verifique a disponibilidade do serviço aqui. Legendas da Disponibilidade Vermelho: quando há respostas negativas seguidas para uma consulta (falta Serviço ou falha de conexão). Ocorre após o
Atualizações da nova a ... Geração automática pelo PVA do registro P200, de consolidação da CP s/ a Receita Bruta, a partir dos registros de apuração de detalhamento por NCM ou serviços,
Repasses do Estado para S... Confira o repasse recebido por sua cidade em São Paulo: https://www.fazenda.sp.gov.br/RepasseConsulta/Consulta/repasse.aspx
Novo Cronograma para emis... Com a publicação da Portaria CAT nº 102/2014 (DOE de 02.09.2014) a emissão do Cupom Fiscal Eletrônico (CF-e-SAT) por meio do Sistema de Autenticação e Transmissão (SAT) foi prorrogando o
NOVOS CST – ICMS em... Hoje completa um mês que iniciou-se o para os contribuintes do ICMS ao emitirem a nota fiscal,  atentar-se aos novos códigos de situação tributária (CST) , instituídos
Comitê Gestor publica re... 4 DE AGOSTO DE 2015 POSTADO POR: COMUNICAÇÃO CFC Por Fabrício Santos Foi publicado no dia 31 de julho (sexta-feira), a Resolução nº 3, de 27 de

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *